quarta-feira, abril 24, 2024

Rio institui 18 de maio como o Dia de Luta Jovem Preto Vivo

Mais Lidas
Agência Brasil
Agência Brasilhttps://agenciabrasil.ebc.com.br
Agência pública de notícias vinculada à Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Informação, cidadania, educação e cultura.

O Rio de Janeiro ganhou um dia para marcar a luta de jovens negros vítimas da violência no estado. O Dia de Luta Jovem Preto Vivo – João Pedro Matos Pinto vai ser comemorado anualmente em 18 de maio. O decreto instituindo a data foi publicado nesta semana no Diário Oficial do estado.

A data lembra a morte do menino João Pedro, que tinha 14 anos quando foi baleado nesse mesmo dia, em 2020, no quintal de casa, durante operação conjunta das polícias civil e federal no Complexo do Salgueiro, região metropolitana do Rio.  

Segundo denúncia do Ministério Público, João Pedro brincava com amigos quando os agentes entraram atirando. O menino foi atingido na barriga, chegou a ser socorrido, mas não resistiu. A casa em que João Pedro estava, de acordo com a denúncia, teria sido alvo de mais de 70 disparos.

Rafaela Matos, mãe de João Pedro, afirmou que esse decreto é apenas uma parte do que precisa ser feito pelo governo para reduzir o genocídio dos jovens negros no estado.

Essa cobrança também é feita pela diretora da Anistia Internacional no Brasil, Jurema Werneck. A organização vem apresentando há anos recomendações às autoridades para interromper a violência cometida por agentes do estado contra jovens negros.  

A diretora avalia que o decreto é uma ação importante, mas afirma que o estado precisa de medidas efetivas para lidar com o racismo nas operações policiais. 

A data entrou para o calendário oficial do Rio de Janeiro. No dia serão realizados eventos e campanhas educativas para estimular o debate sobre o racismo, encarceramento e genocídio da juventude negra e periférica.

Três policiais foram denunciados à Justiça por homicídio e fraude processual no caso do menino João Pedro. A primeira audiência do processo ocorreu em setembro de 2022, mais de dois anos após o crime, e a última em novembro do ano passado.

O processo está agora na fase de alegações finais. O Ministério Publico pediu que os acusados sejam levados ao júri popular.



Fonte: Fonte: Agência Brasil

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img
Últimas Notícias

Em 24h, Polícia Militar faz apreensões de drogas em três bairros de Pádua – Jornal na Boca do Povo

Ocorrências não têm relações entre si e foram frutos de flagrantes após denúncias e patrulhamento  Quatro apreensões de...
- Publicidade -spot_img

Notícias Relacionadas

- Publicidade -spot_img
Top Of Mind