quarta-feira, fevereiro 21, 2024

China nega haver patógenos incomuns em surto de pneumonia

Mais Lidas
Agência Brasil
Agência Brasilhttps://agenciabrasil.ebc.com.br
Agência pública de notícias vinculada à Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Informação, cidadania, educação e cultura.

As autoridades de saúde da China forneceram à Organização Mundial da Saúde (OMS), nesta quinta-feira (23), dados solicitados sobre um aumento nas doenças respiratórias. O país asiático relatou também surtos de pneumonia em crianças.

De acordo com um comunicado da OMS, as autoridades chinesas disseram não haver detecção de patógenos incomuns ou novos ou apresentações clínicas incomuns, inclusive em Pequim e na província de Liaoning, no nordeste do país.

Preocupada com o aumento das infecções respiratórias na China, a OMS havia solicitado ao país informações detalhadas sobre um surto de pneumonia em crianças.

No início desta semana, a comunicação social e o ProMED, um sistema global de vigilância, relataram surtos de pneumonia não diagnosticada em crianças no Norte da China. Mas, segundo a OMS, não está claro ainda se esses casos estão associados ao aumento de infecções respiratórias, anteriormente relatado pelas autoridades chinesas, ou se se trata de eventos separados.

Entenda

Em entrevista no dia 13 de novembro, as autoridades chinesas da Comissão Nacional de Saúde relataram aumento na incidência de doenças respiratórias no país.

Na ocasião, as autoridades atribuíram o aumento ao levantamento das restrições relativas à pandemia de covid-19 e à circulação de agentes patogênicos conhecidos, como o da gripe, o Mycoplasma pneumoniae (infecção bacteriana comum que normalmente afeta crianças mais novas), o vírus sincicial respiratório (RSV) e o SARS-CoV-2, que causa a covid.

As autoridades destacaram a necessidade de maior vigilância das doenças nas instalações de saúde e em ambientes comunitários, bem como de reforço na capacidade do sistema para atender pacientes.

*Com informações da RTP – Rádio e Televisão de Portugal e da Agência Reuters



Fonte: Fonte: Agência Brasil

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img
Últimas Notícias
- Publicidade -spot_img

Notícias Relacionadas

- Publicidade -spot_img
Top Of Mind