segunda-feira, julho 15, 2024

Empresários da Panificação e Confeitaria do Noroeste Fluminense se reúnem, no Rio, para discutir as tendências do setor

Mais Lidas
Na Boca do Povo
Na Boca do Povohttp://jnnabocadopovo.com.br/
Jornalismo sério, competente e compromissado com à verdade. Criado no dia 01 de Setembro de 2016 hoje somos referência em Santo Antônio de Pádua, e conseguindo a credibilidade em toda a região.

Relevância do setor fez com que a Firjan, junto a sindicatos fluminenses, realizasse o Encontro Estadual do Setor de Panificação e Confeitaria, que ocorreu nos dias 19 e 20/06.

A Firjan, junto a sindicatos de Panificação e Confeitaria de todo o estado do Rio de Janeiro, realizou, nos dias 19 e 20/06, o Encontro Estadual do setor de Panificação e Confeitaria, que aconteceu no Centro de Referência em Alimentos, Bebidas e Panificação Firjan SENAI Tijuca e na Casa Firjan, na capital. Quatorze empresários do Noroeste Fluminense participam da visita, num total de 150 empresários de 15 cidades fluminenses.

O encontro teve como objetivo debater as transformações do mercado, por meio de palestras, sessões de debates e workshops. Além disso, foi entregue uma homenagem a Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, presidente da Firjan. “Faço saudação à Indústria da Panificação, que é a primeira abrir e a última a fechar e que tem inestimável importância social e econômica. Fizemos um levantamento que acabou de sair do forno, com base em dados do Ministério do Trabalho de 2022. A Panificação e Confeitaria é responsável por 45 mil empregos formais no estado do Rio de Janeiro. Se você multiplicar 45 por 5, que é a média de pessoas por família, são mais de 200 mil pessoas que dependem deste setor. São números que nos dão imenso orgulho”, celebrou o presidente da Firjan.

Os dados citados por Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira foram atualizados pela Gerência de Estudos Econômicos da Firjan, a partir de informações recentes do Ministério do Trabalho. Segundo o estudo, o setor de Panificação brasileiro contava com 79,8 mil estabelecimentos formais, distribuídos em 4.400 municípios brasileiros. Isso significa que 79% das cidades brasileiras possuem empresas formalizadas cuja atividade principal é a fabricação de produtos de panificação ou o comércio varejista de produtos de padaria, laticínio, doces, balas e semelhantes. Em média, cada município brasileiro abriga 14 estabelecimentos do ramo de panificação.

João Dimas Campos Ramos, presidente do Sindicato das Indústrias de Alimentação no Noroeste (Sianerj) e proprietário do Shop do Pão, em Itaperuna, destacou a vocação da região neste setor. “Esse evento traz uma grande certeza: queremos uma posição de destaque perante os produtos de outros estados, pois a panificação e confeitaria está presente em todas as cidades fluminenses, e emprega milhares de pessoas, direta e indiretamente. É fundamental oferecer conhecimento, conteúdos de inovação e tecnologia e crédito facilitado aos empresários para um crescimento sustentável. Destaco também a grande mobilização dos empresários de panificação e confeitaria do Noroeste, sendo uma região com forte vocação no setor”, afirmou.

Dados revelam crescimento do setor

O estudo da Firjan revela ainda que no estado do Rio, são 5,2 mil estabelecimentos formais do ramo, o que se reflete diretamente no registro do número de trabalhadores do setor.

“A partir dos dados do estoque de trabalhadores de 2022 e da geração de emprego recente, estimamos que, em 2024, o segmento atingiu 545,2 mil trabalhadores formais no país, patamar histórico para o setor”, afirma o gerente de Estudos Econômicos da Firjan, Jonathas Goulart, lembrando que, em 2023, esse número representava 479 mil trabalhadores. Na comparação com 2014, houve um crescimento de mais de 112 mil trabalhadores, equivalente a um aumento de 25,9% do contingente de trabalhadores. “Esse avanço é mais de duas vezes o observado no mercado de trabalho formal como um todo no mesmo período (+11,4%)”, completa Goulart.

O Rio de Janeiro registra 45,3 mil empregados formais no setor em 2024, respondendo por 8,3% do mercado de trabalho nacional de panificação, atrás apenas de São Paulo (29,2%) e Minas Gerais (14,3%).





Fonte: Fonte: Jornal Na Boca do Povo

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img
Últimas Notícias
- Publicidade -spot_img

Notícias Relacionadas

- Publicidade -spot_img
Top Of Mind