terça-feira, abril 16, 2024

Governador Cláudio Castro anuncia data de nova de prova para o concurso da PM

Mais Lidas
Na Boca do Povo
Na Boca do Povohttp://jnnabocadopovo.com.br/
Jornalismo sério, competente e compromissado com à verdade. Criado no dia 01 de Setembro de 2016 hoje somos referência em Santo Antônio de Pádua, e conseguindo a credibilidade em toda a região.

Dois mil novos soldados serão contratados para reforçar a segurança do estado.

O governador Cláudio Castro anunciou nesta quinta-feira (04/01), a nova data da primeira prova objetiva escrita do concurso da PM: dia 7 de abril. Os locais de prova, assim como as demais etapas do concurso, serão divulgados em breve. O processo seletivo para preencher duas mil vagas para o Curso de Formação de Soldados (CFSd) da Polícia Militar do Rio de Janeiro foi retomado no início deste mês, com a contratação da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para a realização do concurso.

 – A aplicação da primeira prova objetiva representa uma grande vitória para a área de segurança do estado, que contará com a recomposição do efetivo da Polícia Militar, assim como para os quase 120 mil candidatos inscritos, que há meses esperam pela retomada do concurso. Com mais 2 mil soldados da Polícia Militar, vamos ter um Rio mais seguro – disse o governador. 

O concurso foi suspenso no final de agosto do ano passado, ao ser constatada falha na aplicação da primeira prova escrita objetiva. Em consequência da irregularidade, foi rompido o contrato com o IBADE (Instituto Brasileiro de Apoio de Desenvolvimento Executivo), instituição que venceu a licitação no início de 2023 para realizar o concurso. 

O processo seletivo foi retomado no dia 1º de dezembro de 2023, após o Governo do Estado  publicar no Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro a autorização para a contratação da FGV, em substituição à banca examinadora anterior. 

Durante o período de paralisação do processo seletivo, a Polícia Militar ainda resolveu outra questão jurídica referente ao processo, em que o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a suspensão do concurso por considerar inconstitucional a cláusula do edital que limitava o ingresso de mulheres com uma cota de 10%. Um acordo obtido pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE) junto ao STF garantiu a continuidade do concurso, com a eliminação da cláusula. Com isso, ficou estabelecido que a classificação obedeça ao critério de notas, independentemente do sexo do candidato.





Fonte: Fonte: Jornal Na Boca do Povo

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img
Últimas Notícias
- Publicidade -spot_img

Notícias Relacionadas

- Publicidade -spot_img
Top Of Mind