segunda-feira, julho 15, 2024

Última etapa de vacinação contra a Febre Aftosa será antecipada no Estado do Rio de Janeiro

Mais Lidas
Redação
Redaçãohttps://radiofeliz.com.br
Um dos primeiros Portais de Notícias da Região. Foi o primeiro a ter integrações com a web 2.0 permitindo a seus usuários criarem redes sociais em suas páginas.

Secretaria de Estado de Agricultura alerta que bovinos e bubalinos de todas as idades devem ser imunizados
A última etapa de vacinação contra a Febre Aftosa no Estado do Rio de Janeiro foi antecipada do mês de maio para de abril de 2024.  Nesta última fase da campanha, serão imunizados os bovinos e bubalinos de todas as idades. O objetivo da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento é ultrapassar a meta dos 90% de vacinação estabelecida pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Por meio da Superintendência de Defesa Agropecuária, o Rio de Janeiro está seguindo as etapas para se tornar um Estado com o status de “livre da Febre Aftosa” sem vacinação.

Depois da campanha realizada em novembro de 2023, a equipe gestora do Plano Estratégico do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (PE-PNEFA) decidiu que os estados do Amapá, Bahia, Maranhão, Pará, Rio de Janeiro, Roraima e Sergipe suspenderão a vacinação a partir de abril deste ano. Essa medida é importante para que não ocorra restrição de trânsito de animais e produtos entre os estados que integram o Bloco IV.

O intuito do MAPA é tornar o país totalmente livre da doença sem vacinação até 2026. De acordo com o secretário de Agricultura, Dr. Flávio, é importante a colaboração de todos pecuaristas para garantir a maior imunização nos estados que ainda aplicarão a vacina contra a Aftosa.

– Os pecuaristas devem estar atentos às mudanças em relação ao calendário de vacinação. Os animais de todas as idades participarão desta última etapa da campanha. A colaboração é de extrema importância para manutenção do estado com status de livre da febre aftosa – ressalta Dr.Flávio.

Vacinação obrigatória

A vacinação é obrigatória. O produtor que não imunizar e declarar a vacinação do seu rebanho pode ser multado e ter a propriedade interditada. O registro deverá ser entregue ou enviado em até 5 dias após a imunização para um dos Núcleos ou Postos Municipais de Defesa Agropecuária.

– É um processo de substituição da vacinação pelo aumento da vigilância sanitária em todo o território fluminense, sendo fundamental que o cadastro das propriedades rurais esteja atualizado. Este procedimento é realizado junto ao Núcleo de Defesa Agropecuária ou Posto Municipal no momento da entrega da declaração de vacinação – alerta o superintendente de Defesa Agropecuária, Paulo Henrique Moraes.

Os contatos de e-mail dos Núcleos de Defesa Agropecuária e o formulário de declaração de vacinação podem ser acessados por meio deste link: https://www.agricultura.rj.gov.br/node/54.

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img
Últimas Notícias
- Publicidade -spot_img

Notícias Relacionadas

- Publicidade -spot_img
Top Of Mind